O amor é para todos: acessibilidade em motéis

Você já ouviu falar que o amor é para todos, certo? Bem, para que isso seja possível existe algo imprescindível, a acessibilidade. Você sabia que todos os estabelecimentos públicos, inclusive motéis, precisam garantir a acessibilidade a todo público?

Boa parte da nossa população possui algum grau de deficiência, seja física, motora, visual ou auditiva. Ou seja, não é aceitável que essas pessoas sejam impedidas de viver coisas que o restante da sociedade vive – o amor é uma delas.

Quando o assunto é se relacionar amorosamente com alguém, pessoas com certo grau de deficiência carregam uma grande dificuldade.

Um aplicativo de relacionamento, da Índia, realizou uma pesquisa para lançar uma campanha chamada “namoro com deficiência”. De acordo com ela, 43% das pessoas entre 21 e 30 anos, com alguma deficiência, disseram que o assunto “relacionamento amoroso” sempre fica em segundo plano na vida. Porém, 57% já conseguiram viver essa experiência.

Ter alguma deficiência não impede essas pessoas de viverem grandes amores. Mesmo que elas lidem de forma diferente e enfrentem desafios nessa tarefa. A falta de confiança é um deles.

Ainda de acordo com uma pesquisa, 52% das pessoas com deficiência, entre 25 e 30 anos, já usaram aplicativos de relacionamento para encontrar alguém. A facilidade que esses apps oferecem tem ajudado essas pessoas que não tem muita facilidade em sair e conhecer outras pessoas.

 Contar sobre a sua condição não é algo simples, embora a maioria das pessoas com deficiência considerem informar sobre a sua condição, logo no início da conversa, algo importante. Outros, sabem que sua deficiência não os definem e não gostam de abordar esse assunto antes de encontrar alguém.

As coisas poderiam ser mais fáceis. Mas, infelizmente a sociedade ainda diferencia essas pessoas e no assunto amor é como se elas não se encaixassem para isso. Como se elas não tivessem o direito de encontrar uma pessoa que as amem.

Um dado de destaque da pesquisa é que homens entre 21 e 30 anos com deficiência já se divertiram muito em encontros amorosos e sobre a sua condição foi uma pequena parte dos assuntos conversados.

Isso mostra que é possível se envolver com outras pessoas que não fazem parte de padrões considerados “normais”. Mas, se relacionar com alguém com deficiência exige que nos informemos muito sobre  a condição do outro. Essa empatia ajuda essas pessoas a se sentirem, confiantes, confortáveis em viver um amor e evitar que isso vire um fardo em sua vida.

 Precisamos rever o nosso modo de enxergar as pessoas com deficiência. 

Acessibilidade no motel

Nós, como espaço público, além de defendermos que o amor seja para todas as pessoas, precisamos oferecer meios para que elas possam viver esse amor.

Por isso, para garantir o bem-estar delas em todos os lugares, que desde 2018 há uma lei que orienta os espaços públicos a oferecer acessibilidade. Isso inclui motéis, hotéis e pousadas.

Com ela, todos os estabelecimentos precisam se adequar para oferecer estrutura e recursos que viabilizem o acesso fácil das pessoas com necessidades específicas.

Isso vale para as suítes, garagem, recepção, entrada etc. Além da estrutura adequada, o motel também deve dispor de ajuda técnica, caso o cliente solicite. Podemos mencionar cadeiras de rodas, cardápios e tabelas de preços em braille, por exemplo

Garantir esses meios de acessibilidade é garantir que o amor seja vivido por todas as pessoas e que o mundo seja um espaço mais igualitário.

No Lino, todas as pessoas são bem-vindas e, se necessitarem, podem solicitar a suíte com acessibilidade.