Mulheres 50+ também merecem prazer

Mulheres a partir dos 50 anos também podem e merecem sentir prazer sexual, mesmo com os desafios que essa fase traz e que são poucos falados e naturalizados. Menopausa, cobrança pelo rejuvenescimento e a falta de se sentir desejada são alguns exemplos de com o que essas mulheres precisam lidar.

Desde que a novela Um Lugar Ao Sol deu protagonismo à personagem Rebeca, interpretada pela Andréa Beltrão, muitas mulheres passaram a se identificar com a história dela – que trata exatamente sobre a potência das mulheres mais velhas.

Vivendo um casamento fadado ao fracasso, Rebeca lida com o tédio dentro de casa, cobrança pela sua imagem não mais jovem e crise na vida profissional – afinal, não é mais uma bela mulher no auge da sua juventude.

Tudo é explorado na novela e Rebeca mostra que, mesmo com esses impasses, há muita vida para ser vivida após os 50 anos.

O desejo sexual da mulher madura

Duas situações da personagem trouxe o debate sobre o desejo sexual das mulheres mais velhas.

A primeira, foi Rebeca se masturbando – após rejeitar sexo com o seu marido, que também a tinha rejeitado no mesmo dia. Tulio, o marido, a flagra no ato e toda uma discussão se inicia – escancarando como os casais vão varrendo para debaixo do tapete questões mal resolvidas e que acumulam até chegar ao ponto do fracasso da relação.

A segunda, quando Rebeca, que estava acostumada com sua invisibilidade como mulher dentro de casa, começa a se envolver com um homem bem mais novo.

Com uma vida sexual, agora, transbordando desejo e prazer, o rapaz fornece a ela a atenção e o tesão que ela achava que não merecia mais sentir.

Os dois enredos mostram situações comuns às mulheres na fase mais madura. Muitas, se fecham e passam a viver uma vida limitada e frustrada. É como se a idade fosse um elemento que as impedissem de buscarem suas vontades e, após os 50 anos, elas precisem viver “recolhidas”.

A personagem, Rebeca, mostra que isso pode ser diferente!

Trazendo para a vida real, esse comportamento feminino que a sociedade instituiu – que as mulheres não podem serem livres após determinada fase, não faz sentido. Ainda mais quando lembramos que a expectativa de vida das mulheres brasileiras, hoje, está em 80 anos.

Os 50 anos são praticamente metade da vida!

Obviamente, as mudanças fisiológicas acontecem com o passar dos anos e a libido é afetada. Felizmente, há muito conhecimento e recursos médicos para lidar com isso. Infelizmente, são poucas as mulheres que buscam ajuda médica para essas questões sexuais.

E é por isso que consideramos importante o retrato da personagem Rebeca. Mulheres que estão em uma fase repleta de frustrações podem se redescobrir e voltarem a ser ativas e livres.

Prova disso são as que se envolvem com parceiros bem mais novos. Algo que ainda é visto como tabu, mas que fazem muito bem a algumas mulheres.

Além do mais, as relações com pessoas maduras podem ser incrivelmente melhores que entre pessoas mais jovens – sem frescuras, sem a busca pela perfeição e sem a expectativa de uma performance que só existe em filmes pornôs.

A história da Rebeca mostra a nova perspectiva que a mulher pode ter sobre a sua vida e deixa claro que não há idade certa para ter uma vida sexual plena e satisfatória.

E, aí mulher, se identifica com a Rebeca? Então inspire-se e viva suas experiências com mais prazer!