Feminismo sim e, inclusive, para homens

No ano passado, os registros de mulheres que receberam violência contra elas aumentaram quase que pelo dobro – no ano em que a Lei Maria da Penha completou 15 anos de atividade.

Será que ainda precisamos falar sobre feminismo?

Se você, homem e também mulher, ao ler o primeiro parágrafo pensou “lá vem papo de mulher feminista”, saiba que é justamente por mentes assim que, SIM, precisamos falar de feminismo. Ainda.

A pandemia forçou mulheres e homens a conviverem, dentro de casa, por mais tempo. Isso foi um dos causadores do aumento da violência contra a mulher. Violência partindo do parceiro ou ex-parceiro ocupam o topo de pesquisas.

Além disso, o mundo digital nos domina hoje em dia e também chegou aos relacionamentos da vida real.

O Instituto Avon realizou um estudo sobre o impacto do mundo online na vida das mulheres no Brasil. O assédio sofrido de forma online é a forma de violência mais citado pelas brasileiras.

Na sequência, vem o vazamento de fotos íntimas e stalkers (perseguição online). Em quase 100% dos relatos, parceiros e ex-parceiros estão envolvidos.

Tudo ainda acontece porque o machismo e a desvalorização da mulher estão enraizados de forma muito profunda na sociedade.

O feminismo é o que trouxe à tona a realidade dos casos de violência da mulher – seja qual for o tipo – e é muito importante para seguirmos lutando contra essas práticas, que salvam vidas.

Feminismo para homens

O conceito de feminismo é deturpado popularmente. É comum ouvirmos que mulheres feministas são contra homens. Não é nada disso!

Homens também sofrem do mesmo passado pensamento que mulheres.

Homem não chora, nunca demonstra seus sentimentos ou mostra fraqueza.

Crescemos ouvimos isso também. Fruto do patriarcado.

Mas não há homem assim. Nenhuma pessoa é essa rocha que desenham a masculinidade. E muitos homens são formados reprimindo quem é realmente para seguir o padrão imposto.

Até parece papo de mulherzinha, não é mesmo? Pois é, está aí a coincidência.

O feminismo é um movimento eclético e que abrange muito mais do que a fala “dia da mulher são todos os dias”.

É preciso ação! Para isso, precisa mudar o pensamento e isso começa ao tomar a decisão de abrir os nós que nos moldam e buscar um mundo mais humanizado e respeitoso – afinal, é apenas do que precisamos.

Assista ao vídeo abaixo e entenda melhor porque os homens também são parte do feminismo: https://www.youtube.com/watch?v=lYd5du-6UBM&ab_channel=ONUMulheresBrasil